25 de março de 2014

Minhocas (2013)

Que o cinema nacional evoluiu muito nos últimos anos não é segredo para ninguém, seguindo esse ritmo Minhocas, produção em parceria de Brasil e Canadá, tornou-se a primeira animação em stop motion da América Latina. Para um primeiro trabalho a obra foi muito bem tratada, cenários bem trabalhados, estética e fotografia sólidas. O que ficou a dever foram algumas amarrações do roteiro escrito por Thomas Lapierre, Marcos Bernstein, Melanie Dimantas e Romeu di Sessa. Situações mal explicadas e universo de ideias reduzido. Mas volto a repetir, para uma primeira obra o único sentimento que podemos ter é orgulho do atual cenário nacional. A produção de Minhocas (lançado como Worms para o mercado mundial e com diálogos em inglês) foi realizada pelo estúdio Animaking em parceria com a Glaz Entretenimento, a direção ficou a cargo de Paolo Conti e Arthur Nunes, que também capacitaram a mão-de-obra para realização da obra, já que esse mercado no Brasil ainda é escasso.

Gangue da Lama
Se a construção física dos personagens foi complexa, ao todo o filme demorou seis anos para ficar pronto e foram utilizados mais de cem modelos de bonecos em duas escalas diferentes de tamanho, para os planos abertos e closes, o perfil psicológico é simples e segue a mesma lógica clichê de motivação e redenção do herói tendo em vista um vilão sem a menor chance de sucesso e um herói em dívida consigo mesmo. A história nos apresenta a Júnior, uma minhoca sonhadora e mimada que sonha um dia se tornar um ícone como seu ídolo Mister Jumping, vítima de bullying por seus colegas da escola ele resolve provar que não é apenas o “filhinho da mamãe” e se mete em uma enrascada que é o início de sua saga. Com ele o nerd Nico, que o auxilia em sua descoberta pessoal do eu interior, e uma jovem rebelde e revolucionária que impulsiona seu desejo reparador.

Como a maioria das histórias entre o bem e o mau o vilão foi coadjuvante, dublado pelo cantor e ator Daniel Boaventura, Big Wig é um tatu-bola que se vale de hipnose para escravizar as minhocas rumo ao domínio do mundo. Como todo vilão de desenho infantil seu plano está fadado ao fracasso em sua teoria niilista de reconstrução do mundo através da perpetuação de sua raça ariana. Mister Jumping está mais para anti-herói de filme americano, egoísta e que presta um grande desserviço para a sociedade das minhocas. Apesar de inúmeros altos e baixos o filme sustenta bem sua proposta de entretenimento infantil e prende as crianças que ficam ansiosas com o desenrolar da trama.

Confira o trailer:

A história não segue uma linearidade perfeita e apesar do esforço estético ela ainda fica muito atrás das grandes produções de estúdios renomados. Os idealizadores da obra, Paolo Conti e Arthur Nunes, escolheram o stop motion justamente por não poderem competir com a tecnologia avançada das animações em 3D. Mas pode se dizer que Minhocas é um grande passo para a consolidação de nosso cinema no cenário mundial. O filme foi ainda uma das últimas dublagens do saudoso Waldir Fiori, que dubla o avô de Júnior, entre seus trabalhos mais conhecidos estão Jaiminho do seriado Chaves e Argo Filch da franquia Harry Potter.

E que o cinema esteja com vocês!