8 de maio de 2013

O Cavaleiro das Trevas Ressurge (2012)


A difícil tarefa de superar o sombrio e macabro O Cavaleiro das Trevas não foi vista com bons olhos por Christopher Nolan, quando a Warner Bros. expressou o desejo de um terceiro filme para dar fim à nova roupagem do Batman criada por ele e incorporada por Christian Bale, ele se mostrou relutante e não muito animado com o projeto. Para Nolan o segundo filme era um bom final e não havia deixado arestas nem pontas soltas para uma continuação. Estava certo.

O mais marcante em O Cavaleiro das Trevas Ressurge (The Dark Knight Rises) não é o filme em si, mas o incidente ocorrido em Aurora, Colorado. James Holmes, 24 anos, entrou em uma das sessões de estreia do filme com um colete a prova de balas e uma máscara de gás, lançou uma bomba de gás e em seguida disparou contra a plateia, 10 pessoas morreram na hora e outras 4 ficaram em estado grave, 2 morreram mais tarde e mais 50 ficaram feridas. Ao ser preso James disse à polícia que era o Coringa, antagonista do segundo filme da série de Nolan.

James Holmes de cabelo laranja como o Coringa
Apesar do incidente a bilheteria do terceiro filme da série foi maior que os outros dois e ultrapassou a incrível marca de 1 bilhão de dólares, figurando em oitavo lugar entre as maiores bilheterias de todos os tempos. Acredito, inclusive, que o ocorrido em Aurora alavancou a audiência do filme. Com sua caracterização esquizofrênica do Coringa, James Holmes criou a imagem de uma produção doentia e a impressão de um vilão desequilibrado e assustador. Holmes, que sofre de desequilíbrios psicológicos, informou a sua psiquiatra sobre o desejo de “atirar em muitas pessoas” a polícia propôs detê-lo por 72 horas e mantê-lo sob supervisão psiquiátrica, mas sua médica, Dra. Lynne Fenton, rejeitou a ideia, ela responde a um processo movido por uma das viúvas das vítimas de Holmes por negligência em providenciar tratamento preventivo para seu paciente. Todos esses fatos corroboraram para uma imagem distorcida e avessa do filme.

Christopher Nolan que assina o roteiro com o irmão Jonathan Nolan, parece relapso com esse projeto, deixou passar inúmeros detalhes que foram motivo de crítica tanto de fãs quanto da mídia especializada. O mote da história se apoia no terrorismo aliado à filosofia das mentes criminosas contrastando com dramas pessoais e exploração do medo interior, características comuns nas obras de Nolan.

Bane
Bane, interpretado por Tom Hardy é o antagonista que conviveu com a difícil tarefa de estar a sombra do Coringa, interpretado de forma assustadora por Heath Ledger em O Cavaleiro das Trevas. Bane é um terrorista niilista, característica idêntica ao Coringa, a diferença entre os dois está na razão, enquanto o último age completamente sem ela segundo suas próprias palavras “eu pareço com alguém que tem um plano?”, Bane é um terrorista psicológico e em ação, formado pela Liga das Sombras possui disciplina e inteligência.

Bruce Wayne, interpretado novamente por Christian Bale, retorna após 8 anos dos fatos ocorridos no filme anterior. Muito debilitado ele sofre nas mãos de Bane e conta com a ajuda de uma inesperada companheira Selina Kyle. A nova Mulher-Gato na pele de Anne Hathaway não teve o mesmo encanto e compenetração de Michelle Pfeiffer que viveu este papel no início da década de 90 sob a direção de Tim Burton. Nolan foi contrário à introdução de Robin desde o início por tratar-se de um Batman mais jovem, Joseph Gordon-Levitt cumpre o papel introdutório do parceiro inseparável de Batman. Nota-se trejeitos semelhantes aos de Heath Ledger nesse personagem, talvez não passe de mera coincidência, mas coincidências suficientes para tornar impossível uma não comparação entre os dois. A passagem de Robin deixou um rastro saudoso de um Coringa recuperado que não vive nem foi morto, tornou-se imortal.

Anne Hathaway como Mulher-Gato
A bela Marion Cotillard como Miranda Tate desempenha o melhor e mais surpreendente papel do filme. Ela abusa de seu charme francês com um bom drama bem escrito e desenvolvido por sua personagem. O longa de Nolan ainda promove o retorno de Morgan Freeman como Lucius Fox, Michael Caine como Alfred Pennyworth e Gary Oldman como o comissário Gordon.


O Cavaleiro das Trevas Ressurge serviu de objeto de comparação com seu antecessor que é extremamente superior em qualidade, roteiro e direção. Efeitos especiais falhos e situações exageradas com pouco nexo são os pontos negativos, por outro lado o desfecho elegante é notável e bem produzido trazendo uma característica notável da filmografia de Nolan, a música de encerramento é hipnotizante, prende-nos à poltrona como um imã deixando um efeito atordoante ao que foi visto, como um mundo novo diante de nossos olhos e mente, querendo entrar e o quer agora! O ar romântico intelectualizado por Nolan na citação de Paris e os nós frouxos dados aos personagens são os atrativos para se ver o filme até o fim.

Confira o trailer:
E que o cinema esteja com vocês!