15 de fevereiro de 2013

Os Miseráveis (2012)


Devo confessar que não sou fã de musicais, mas devido ao apelo da crítica fui tomado pela curiosidade de conferir Os Miseráveis (Les Misérables). Baseado no musical de mesmo nome que por sua vez teve inspiração na obra do francês Victor Hugo, o filme retrata a França no período da Revolução Francesa que se iniciou com a Tomada da Bastilha em 1789. A pobreza é o pano de fundo para uma história embebida de tenacidade, amor e revoluções. É um retrato emocionante de uma época negra da história que deu origem a uma das máximas mais conhecidas da história: Liberdade, igualdade e fraternidade.

Jean Valjean
Inicialmente o filme tem um ritmo cansativo, moroso e por vezes exige mais que nossa paciência, os dois últimos atos são mais agitados e prendem mais a atenção. A apresentação dos personagens é feita de forma primorosa. Conhecemos logo no início o tom do musical com a apresentação de Jean Valjean (Hugh Jackman), condenado por roubar um pão para alimentar a irmã e o vilão Javert (Russel Crowe), inspetor responsável pelos detentos. Logo em seguida surge Fantine (Anne Hathaway), retrato da injustiça social daquela época juntamente com Valjean.

Marius, Cosette e Éponie
Ainda na primeira parte é exposto o sofrimento de Fantine, que foi abandonada pelo pai de sua filha após esta nascer e acaba de perder o emprego. Anne Hathaway, indicada ao Oscar de melhor atriz coadjuvante, é a favorita ao prêmio por sua aclamada atuação. Achei razoável, nada de extraordinário, quase não percebi I dreamed a dream, que não teve a devida proporção ou propriedade pelo tamanho do drama que vivenciava. O momento mais emocionante em minha opinião é o trio formado por Éponine (Samantha Barks), Marius (Eddie Redmayne) e Cosette (Amanda Seyfried) cantando A heart fullof love, as três vozes se sobrepondo em frases ambíguas tendo o sentido definido por um dos três e tornando as outras duas uma antítese da outra é fantástico. Sem contar a linda voz e presença de Samantha Barks, sua personagem possuía um drama menor, mas sua atuação o fez parecer maior e mais emocionante.

Javert
Russel Crowe como Inspetor Javert não foi tão bem, a decisão de Tom Hooper em gravar as músicas fora do estúdio, ou seja, no meio das cenas in loco e in natura não foi muito acertada para esse caso. Muito me admira a ousadia de Hooper em realizar um musical dessas proporções e nessas condições. Em contrapartida Hugh Jackman fez o papel de sua vida e não fosse a concorrência com Daniel Day-Lewis seria o grande favorito ao prêmio de melhor ator no Oscar 2013, diga-se de passagem, cantou muito bem.

Casal Thénardier
O casal Thénardier interpretado por Helena Bonham Carter e Sacha Baron Cohen, viveram dois aproveitadores trambiqueiros que lembra muito os personagens de Tim Burton, marido de Bonham Carter que é colaboradora em muitas de suas obras. O humor ácido e negro do casal quebra o ar sombrio e trágico descondensando a obra. Essa atitude, à qual apelidamos de malandragem por essas bandas, poderia ser típica dos franceses da época. O contexto histórico da obra publicada em 1862 aponta uma França desgastada pela Revolução e pelo longo reinado de Napoleão Bonaparte. Vivendo em regime absolutista a população não tinha nada a não ser os impostos a serem pagos que eram aumentados sempre que o país entrava em guerra. Por outro lado a burguesia dilatava ainda mais o abismo entre riqueza e pobreza.A exploração e desrespeito ao bem estar amparados por uma política que visava apenas poder, fez vislumbrar nos olhos dos mais pobres o caminho da riqueza. Nesse contexto todo e qualquer tipo de golpista surgia de corpo e alma, sem se preocupar com ética e moral. Era o retrato da sociedade francesa e do casal Thénardier.

Fantine
Os Miseráveis foi indicado a oito óscares, incluindo melhor filme, melhor ator e melhor atriz coadjuvante. Foi o maior vencedor do Bafta 2013, levando quatro prêmios, entre eles o de melhor atriz coadjuvante, porém perdeu a briga de melhor filme britânico para 007 – Operação Skyfall.

Que o cinema esteja com vocês!




Confira o trailer:


Les Misérables